NewsletterInstagramTwitter Facebook

Publicado em:
7
6/2017

Pesquisa sobre consumo de orgânicos aponta que 15% da população consome produtos do gênero

A região Sul registra o dobro do consumo nacional, apurou a inédita pesquisa nacional com consumidores de orgânicos da Organis – Conselho Brasileiro de Produção Orgânica e Sustentável.

Os dados da primeira pesquisa nacional realizada pela Market Analisys com 905 consumidores de orgânicos foram fornecidos hoje, 7 de junho, na BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA e NATURALTECH – Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia, de 7 a 10 na Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.

Adultos com idades entre 18 e 69 anos, das capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Goiânia representam 15% da população urbana consumidora de produtos orgânicos, especialmente a região Sul, com o dobro do consumo nacional.

Verduras, legumes e frutas são os alimentos mais consumidos, no entanto há disposição de introduzir outros produtos orgânicos nos hábitos de consumo – exemplo disso é que nas feiras abertas hoje há 1.200 produtos e serviços à disposição do público, que nos dois últimos dias pode visitar os eventos no Ibirapuera.

O mercado de produtos orgânicos é um dos que mais crescem no Brasil. O setor ganhou impulso depois da regulamentação em 2011 – que instituiu a obrigatoriedade de certificação e um selo de garantia para orientar o consumidor – e vem crescendo a taxas significativas desde então. Em 2016, o faturamento chegou a R$ 3 bilhões, um crescimento de 20% sobre o ano anterior (Fonte: Organis - Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável).

A pesquisa aponta que não existe uma marca forte que represente o setor de orgânicos e a percepção do consumidor é para marcas que aparecem mais na mídia e nas gôndolas dos supermercados, ponto de venda mais relevante. De acordo com o apurado, a maior barreira para o consumo aumentar é o preço e maior clareza sobre os benefícios desses produtos e a aplicação da certificação.

Prova de que há espaço para crescer nesse mercado é que 25% da população não estão interessados em mudar o hábito de consumo do convencional para o orgânico.

Outras informações da pesquisa
Quando há mais de uma marca de produto orgânico disponível, o preço é o principal fator decisor de compra.
Qual é o principal motivo para você não consumir produtos orgânicos atualmente? Respostas: falta de preços acessíveis (41%), falta de interesse (14%) falta de lugares próximos (12%) e falta de conhecimento (7%) predominantemente. “Precisávamos ter um perfil por região, com consumo, costumes e percepção do consumidor de orgânicos“, diz Ming Liu, responsável pela pesquisa. “Se há cerca de 600 feiras orgânicas mapeadas no Brasil e a cada ano o crescimento do setor chega a 20%, temos potencial de aumento de consumo”, diz ele.

Segmentação
O crescente desenvolvimento da produção orgânica brasileira – que vai muito além dos frutas, verduras e legumes in natura – se reflete na segmentação dos expositores dentro da BIO BRAZIL FAIR | BIOFACH AMERICA LATINA:
Bio Alimentos: carnes; sucos e bebida; leites, laticínios e ovos; frutas, verduras e legumes; pães, massas, bolos e biscoitos; mel e derivados; chocolates; café; alimentos orgânicos in natura e congelados em geral;
Bio Cosméticos: aromas e essências, cremes, shampoos, sabonetes, tônicos e matérias-primas;
Bio Moda: biojoias, confecções, tecidos e acessórios; e
Bio Produção e Serviços: insumos e fertilizantes, equipamentos e máquinas, certificadoras, consultorias, editorias e embalagens.

Fonte: Primeira Página